O que é Dinâmica de Grupo

Já há algum tempo, é amplamente reconhecida a importância da utilização das dinâmicas de grupo no que se refere ao desenvolvimento dos valores individuais e coletivos dentro de um determinado segmento social.

As dinâmicas são exercícios com espírito lúdico, que têm por objetivo criar oportunidades preciosas de convívio enriquecedor para os participantes, no qual tenta estreitar os laços entre os envolvidos e trazer mais vigor às relações humanas.

O que é comumente considerado um fator negativo, pode através de uma vivência, tecnicamente bem dirigida, se tornar uma opurtunidade onde o indivíduo tem a possibilidade de conhecer melhor a si mesmo e de aprender um comportamento mais adequado e positivo para uma ação e colaboração satisfatória para sua vida e também para a sociedade.

As dinâmicas são consideradas instrumento de grande eficácia no que tangem questões de motivação, criatividade, assertividade, cooperação e outros. São utilizadas para levantar diagnóstico e ajudar a melhorar o trabalho em grupo dentro das instituições.

Segundo Miranda (1997), no livro “Oficina de Dinâmica de Grupo para Empresa, Escola e Grupos Comunitários”, os jogos realizados nas empresas buscam oferecer uma iniciativa concreta com vistas ao desenvolvimento interpessoal, propondo minimizar, mediante a aplicação de exercícios e técnicas, os conflitos embutidos nas relações e no ambiente de trabalho.

Também são aplicáveis nos grupos constituídos informalmente, tornando o ambiente, outrora inerte e por vezes improdutivo, em ambiente de convivência grupal, solidário e sensível às dificuldades do cotidiano. Abre-se, assim, um canal eficaz de comunicação e estabelecimento de relações de confiança entre os membros do grupo.

Segundo Fritzen (1982), aprendemos melhor e mais rapidamente em grupo. Grande parte de nossas crenças, atitudes e sentimentos adquirimos nos grupos. A experiência do grupo atua sobre nós de tal modo que chega a modificar nossos hábitos de vida, de trabalho e podendo ainda alterar nosso objetivo de vida.

Ao coordenador do grupo ou lider cabe esclarecer as situações, levar as pessoas a interiorizar seus problemas, provocar sincera reflexão, despertar a solidariedade grupal e resonsabilidade, criar um ambiente de compreensão, de respeito e de aceitação mútua, de autêntica fraternidade e de acolhida. Isto dá possibilidade, para cada membro que se sentir amparado psicologicamente, encontrar respostas positivas às suas inclinações naturais de segurança, reconhecimento, aceitação, pertencimento grupal e de valorização pessoal. A promoção da transformação pessoal, leva simultaneamente à transformação coletiva, crescimento e sensação de bem estar e, porque não, de felicidade?

Bibliografias Consultadas:

Miranda, S. Oficina de Dinâmica de Grupo para Empresa, Escola e Grupos Comunitários, 2ª ed. Campinas – SP, Editora Papirus, 1997.

Kerby, A. 150 Jogos de Treinamento, Tradução e Adaptação: José Henrique Laminsdorf, SP: Ed. T&D, 1995.

Fritzen, S. J. Exercícios Práticos de Dinâmica de Grupo, Vol. I, Petrópolis, RJ, Ed. Vozes, 1981.

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>